Por que meditar?

Meditar é uma maneira de fugir da pressão do dia a dia?

A meditação é uma experiência de se viver a vida na sua plenitude, não importando o quanto ela se nos apresente dolorosa ou prazerosa.

Meditar é abarcar a realidade e mergulhar tão profundamente no ato de viver de modo que a barreira dos desejos sensuais seja rompida. A Meditação Chan é um treinamento que nos permite mergulhar na realidade compreendendo as dificuldades e os estresses do dia a dia, de vivenciarmos plenamente a vida dando cabo às dificuldades com sabedoria.

O Chan não é uma tentativa de fugirmos das pressões do dia a dia, tampouco de ocultarmos as dificuldades que se apresentem. É um aprendizado, é Xiu Xing (Introspecção transformadora). É observarmos como somos e como nosso comportamento reage frente aos obstáculos e ao nos aceitarmos, como podemos alcançar uma transformação duradoura purificada.

 

Meditar é só para religiosos? Meditar é religião?

Meditação não é religião tampouco está voltada apenas aos religiosos. Contudo, a figura do mestre no Oriente é muito destacada dentre monges ou sábios fazendo deles pessoas reverenciadas por representarem instituições, templos ou escolas de artes marciais, de pintura, escultura ou de filosofia. Sobretudo no costume chinês, a imagem do mestre (shi fu) é de alguém que aponta o caminho que devemos seguir e não da figura paterna bondosa que nos dá conforto e proteção.

 

E no caso de eu descobrir ser minha vida não correta, seria perigosa a meditação?
Ela pode mudar minha vida? O que devo fazer?

Tudo na vida é perigoso e repleto de riscos. Viver é perigoso! Dirigir um carro, voar, viajar por mar, qualquer coisa oferece risco. Mesmo em casa, podemos tropeçar e cair.

Muitas vezes emoções encobertas há muitos anos podem provocar o medo de perdermos o controle, de sermos incapazes de nos defendermos e de realizarmos uma drástica mudança no rumo de nossas vidas.

O Chan é um processo suave e gradual que corrige aos poucos o rumo da nossa vida, que traz conscientização sobre nossa verdadeira natureza e realidade.

Entretanto, se quisermos acelerar o processo de transformação, é conveniente buscarmos orientação.

 

Meditação é uma técnica de relaxamento?

Uma das consequências da Meditação Chan é o alcance de um estado de relaxamento e tranquilidade tanto da mente quanto do corpo. O relaxamento das tensões do cotidiano, a dissolução do estresse e das mágoas em nosso coração serão resultados perceptíveis. Mas a proposta do Chan vai mais além.

Chan é Iluminação, a compreensão do vazio e a libertação do “ego”. É o caminho da interiorização e da plena atenção.

Na realidade, há procedimentos de relaxamento que enfocam a concentração da mente, e conduzem-na para o repouso num objeto, numa imagem ou num tipo de pensamento. Se a prática for adequada, o meditante conseguirá tranquilidade e paz interior muito profunda, podendo chegar ao êxtase ponto esse que a maioria dos sistema ou técnicas estacionam não seguindo adiante.

 

Meditação é entrar em transe?

Talvez possa ser para alguma outra modalidade de meditação, mas não se aplica à Meditação Chan, ao treinamento Chan e ao Xiu Xing. Ela é uma interiorização, uma focalização para dentro de nosso self, por isso não é hipnose, nem obliteração da mente, menos ainda de dispersão dos sentidos.

No Xiu Xing, nossa consciência se torna mais clara e límpida, temos maior controle sobre as alterações emocionais do dia a dia tornando-nos mais assertivos e perspicazes.

Na autossugestão ou hipnose, a pessoa está sobre controle do outro, e como no Chan ocorre uma profunda observação de si mesmo, a pessoa estará sobre seu próprio controle vivenciando a plena atenção. Contudo, se durante a meditação perdermos o controle ou os sentidos, é porque não estamos treinando de acordo com a diretriz do princípio Chan.

O Chan é o cultivo da atenção plena e da observação da própria natureza búdica.

 

Meditação significa isolamento, afastar-se do mundo materialista?

O meditante estando isolado, passando horas sozinho em sua almofada, pode parecer fugir da realidade o que nos faz perguntar: será que ele não deveria estar empreendendo ações sociais de benemerência, ajudando vítimas de conflitos, da fome ou do que quer que seja? Não deveria ele estar cuidando de idosos e de crianças abandonadas?

O meditante não está isolado e nem quer fugir do mundo materialista. Ele é motivado pelo Xiu Xing que purifica e harmoniza seu ideal que é Maaiana, o grande veículo de travessia para além do sofrimento humano.

Antes mesmo de partir para obras sociais ou ajudar o próximo, o meditante precisa controlar seu próprio “ego”, para que suas atitudes não se transformem em ampliação de um prestígio egocêntrico. O propósito do meditante é dissipar de sua mente sentimentos obstrutivos como o desejo, o rancor, a impulsividade, o preconceito, a mágoa e a lassidão trabalhando com afinco na meditação para conseguir abandonar a cobiça, a raiva e a ignorância.

Enquanto não se desprender desses perniciosos sentimentos suas ações em prol do outro, muitas vezes transforma-se em negócio próprio.

 

Meditação favorece nobreza de pensamento e atitude sublime?

Não, a Meditação Chan não traz nenhum tipo de pensamento nobre ou sublime, o Chan é a própria nobreza.

Existem alguns sistemas de meditação e de contemplação que podem focalizar a nobreza de atitude e a nobreza de espírito como objetivo, mas no Chan nobreza de espírito e de atitude são apenas um meio, não um fim em si mesmo.

Não podemos evitar que esses pensamentos surjam, mas também não podemos nos apegar a eles.

Chan é prática, é Xiu Xing. Só isso, nada mais!

normalcase b04s bsd fwR tsN left show|tsN left fwR b02s uppercase show bsd|left fwR tsN show normalcase|||image-wrap|news c05 b01 bsd|uppercase c05 b01 bsd fwR|b01 c05 bsd uppercase|login news uppercase b01 bsd fwR c15|tsN uppercase c05|normalcase uppercase c05|content-inner||